Grupo de romenos é deportado do Brasil

Quinze romenos adultos e nove crianças foram deportados hoje à tarde do Brasil. Os menores, com idades entre dois meses e nove anos, que seriam seus filhos, estavam sendo usados para pedir dinheiro pelas ruas da cidade, o que levou policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) a prender os adultos, em fevereiro. O grupo havia entrado no País ilegalmente havia dez meses, por meio de um pedido de asilo político, que fora concedido apenas provisoriamente pela Polícia Federal. Os romenos pediam dinheiro no centro da cidade (onde fica o hotel onde estavam hospedados) usando cartazes, em que diziam ser refugiados e não ter dinheiro para sobreviver. À polícia, os estrangeiros disseram ainda fazer parte de um clã nômade (semelhante a comunidades ciganas) e que sofriam perseguição política na Romênia - fato que os motivou a vir para o Brasil. De fevereiro até hoje, eles ficaram hospedados na casa de um líder cigano brasileiro. Seis agentes federais acompanharam o grupo até Bucareste, capital romena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.