Grupo de trabalho tem 90 dias para mostrar situação de barragens paulistas

Grupo de trabalho tem 90 dias para mostrar situação de barragens paulistas

Representantes da Agência Nacional de Mineração (ANM), Agência Nacional de Águas (Ana), e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) serão convidados a integrar o grupo, que fará vistorias in loco nas barragens

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2019 | 08h40

SOROCABA – O governo de São Paulo criou um grupo de trabalho para atualizar e recomendar soluções para reduzir os riscos produzidos por barragens no Estado de São Paulo. A resolução, publicada no Diário Oficial desta terça-feira, 29, estabelece que o grupo, coordenado pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, deverá apresentar em 90 dias um relatório sobre as condições dos barramentos. 

Representantes da Agência Nacional de Mineração (ANM), Agência Nacional de Águas (Ana), e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) serão convidados a integrar o grupo, que fará vistorias in loco nas barragens. 

Em Sorocaba, nesta quarta-feira, 30, o governador João Doria (PSDB) disse que o trabalho de fiscalização já teve início. "São Paulo não tem o mesmo volume de mineração, nem as barragens com as mesmas características das barragens de Minas. Mesmo assim, fizemos um alerta e as empresas (que possuem barragens) já iniciaram a verificação de seus protocolos para garantir a segurança de seus funcionários e da população do entorno."

Ele citou como exemplo a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), que vai instalar equipamentos sonoros e usar aplicativos de celular para alertar a população do entorno de sua fábrica, em Alumínio, no interior, sobre eventuais risco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.