Grupo faz rebelião em prisão onde Bruno está detido em Minas Gerais

Mas pavilhão onde ocorre a rebelião não é o mesmo onde ambos se encontram detidos; há 2 reféns

EQUIPE AE, Agência Estado

21 Fevereiro 2013 | 16h46

SÃO PAULO - Cerca de 90 detentos do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem (MG), se rebelaram na manhã desta quinta-feira e mantêm como reféns um agente penitenciário e uma professora. Esse é o mesmo presídio onde estão presos o goleiro Bruno e Macarrão - que respondem processo pelo assassinato de Eliza Samudio. Segundo a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), no entanto, o Pavilhão onde ocorre a confusão não é o mesmo onde ambos se encontram detidos.

De acordo com a Suapi, a rebelião teria sido iniciada às 9 horas em uma sala de aula que funciona dentro do Pavilhão 1 da unidade. Agentes do Comando de Operações Especiais da Suapi (COPE) isolaram o local e, por volta de 12h30, o Grupo de Ações Táticas da Polícia Militar (Gate) chegou ao local para dar apoio à negociação de soltura dos reféns. Um gabinete de crise foi montado no local.

Ainda segundo a Suapi, o presídio tem capacidade para 1.664 detentos, mas tem lotação de 1.970. O Pavilhão onde ocorre a rebelião abriga 103 detentos.

Mais conteúdo sobre:
rebelião presídio Bruno

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.