Grupo invade igreja e destrói imagem de santos em Alagoas

Integrantes do grupo, que se auto-intitula anti-Cristo, estariam vestidos de preto na invasão em Boca da Mata

Ricardo Rodrigues, especial para O Estado de S.Paulo,

24 de março de 2008 | 21h01

A Polícia Civil de Alagoas investiga a ação de um grupo de pessoas que teria invadido uma igreja e destruído imagens sacras, durante a Semana Santa, no município de Boca da Mata, a 60 quilômetros de Maceió. De acordo com informações colhidas pela polícia, o grupo se auto denomina de anti-Cristo e é composto por jovens, que se vestem de preto e se reúnem no cemitério da cidade.  Os integrantes desse grupo são apontados como o principais suspeitos da invasão à Igreja de Santa Rita, em Boca da Mata. Além de destruíram imagens sacras, as que ficaram inteiras foram colocaram de ponta-cabeça. O pároco da cidade, padre Nivaldo Barbosa, foi procurado por uma equipe da TV Pajuçara (afiliada à Rede Record), na manhã desta segunda-feira, 24, mas estava em estado de choque e não conseguir dar entrevista. Quem falou à imprensa foi o padre Miraldo José, do município vizinho de Anadia, que foi prestar solidariedade ao colega. Segundo ele, os vândalos não levaram nada da igreja, apenas destruíram as imagens de Cristo e de Nossa Senhora das Dores; outras imagens de santos foram colocadas de cabeça para baixo - o que aumenta a suspeita em torno do grupo intitulado de anti-Cristo. Moradores da cidade disseram que o grupo anti-Cristo surgiu há cerca de um ano é capaz de agredir os que pronunciam o nome de Jesus, apelam para santos, fazem promessas, rezam, ou manifestam qualquer tipo de crença.

Tudo o que sabemos sobre:
imagensIgrejaanti-Cristo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.