Grupo protesta contra instalação de Zona Azul no Ibirapuera

Um grupo realizou um protesto neste sábado, 24, para protestar contra a cobrança da Zona Azul especial no Parque do Ibirapuera, que começa a partir de segunda-feira, 26. Com faixas e cartazes, os manifestantes também recolheram assinaturas para um abaixo-assinado contra a nova medida Das quase mil vagas do parque, 600 entrarão na Zona Azul, sendo 504 destinadas a veículos comuns; 24 para deficientes físicos e 72 para motos. Os motociclistas terão uma área exclusiva para estacionar e não precisarão pagar pela vaga. O sistema, que funcionará em caráter experimental por seis meses, cobrará, por duas horas, R$ 1,80, metade do valor cobrado nas ruas da capital. A fiscalização será feita de segunda a sexta-feira, das 10 horas às 20 horas, e nos finais de semana, das 8 horas às 18 horas. A multa para quem não comprar o talão será de R$ 53,20 e começa a valer já na segunda-feira. O tempo máximo de permanência na vaga é de quatro horas. A venda dos talões será feita em dois pontos fixos: na entrada do estacionamento do portão 3 e na passagem que leva ao bolsão do Museu de Arte Moderna (MAM). Além dos pontos fixos, quatro funcionários contratados pela CET vão circular pelo parque vendendo talões.

Agencia Estado,

24 Fevereiro 2007 | 14h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.