Guarda Ambiental conterá ocupações irregulares em SP

A Guarda Ambiental do município de São Paulo foi oficialmente criada nesta segunda-feira, através de decreto publicado no Diário Oficial e assinado pelo prefeito Gilberto Kassab (PFL), com o objetivo principal de conter as ocupações irregulares em áreas de mananciais e de proteção ambiental. As primeiras fases de trabalho serão realizadas nas represas de Guarapiranga e Billings.Ao todo, 96 homens foram destacados dos quadros da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e outros 225 passarão a integrar a Guarda Ambiental em uma segunda fase, que incluirá fiscalização em outras regiões da capital. Eles usarão boinas verdes.Os homens da nova Guarda Ambiental terão um trabalho árduo pela frente. Segundo relatório publicado este mês pelo Instituto Socio-Ambiental em parceria com a Prefeitura, os mananciais já abrigam uma população superior a 1,6 milhão de pessoas, mais de 10% da área urbanizada e 18% das áreas de favela de toda a Região Metropolitana de São Paulo.Somente ao redor da Represa de Guarapiranga, alvo de operação especial que envolve o Estado de São Paulo e a Prefeitura, vivem quase 800 mil pessoas. De acordo com a Prefeitura, cerca de 5 mil pessoas serão removidas do local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.