Guarda civil nega ter ajudado menor a se drogar

A Corregedoria da Guarda Civil Metropolitana abriu sindicância interna contra um guarda municipal que foi flagrado ajudando um menino de rua a se drogar, com um entorpecente que se supõe ser cola de sapateiro, na Ladeira da Memória, no centro, nesta quarta-feira. O guarda teria "esquentado" a cola, que estava numa garrafa de refrigerante, com um isqueiro. O oficial foi identificado e prestou depoimento a uma comissão da Corregedoria, apresentando outra versão. Segundo o guarda, que foi flagrado por um fotógrafo da Folha de S. Paulo, ele apreendeu o frasco com o isqueiro, que estavam com o menor, e jogou-os em uma lixeira que estava no Vale do Anhangabaú. O guarda, que se apresentou à corporação e assumiu ter mantido contato com os adolescentes na tarde de ontem e ser o oficial mostrado nas fotografias do jornal, não teve seu nome revelado. A Assessoria de Imprensa do órgão informou apenas que o acusado faz parte do serviço de motocicletas e estava a serviço no Anhangabaú, ontem. A Corregedoria continuará investigando o caso, para apurar o que de fato aconteceu e decidir o futuro do oficial. As penas podem variar de uma simples advertência à demissão.

Agencia Estado,

09 Fevereiro 2006 | 12h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.