Guarda Municipal atropela e mata criança em Americana

No dia de folga no trabalho, Cleusa Marques Martins levou, nesta quarta-feira, os dois filhos, um sobrinho e um primo para passear no Parque Ecológico de Americana, no interior de São Paulo. Quando o grupo deixava o local, foi atropelado no estacionamento do parque por uma viatura da Guarda Municipal de Americana (Gama). Luan Leonardo dos Santos Bezerra, de três anos, primo de Cleusa, teve traumatismo craniano e morreu nesta quinta-feira no Hospital São Francisco, quase 24 horas depois do acidente. As outras três crianças também foram levadas ao hospital na viatura que as atropelou, tiveram ferimentos leves, foram medicadas e liberadas. Cleusa nada sofreu fisicamente. Mas ficou muito abalada ao saber da morte do primo. "Meu filho, também de três anos, pediu que eu o levasse junto", contou, inconformada.Cleusa disse que caminhava para buscar o carro, no estacionamento, quando as crianças pediram para que ela comprasse algodão-doce. Os cinco estavam próximos do vendedor ambulante quando uma Parati da Guarda Municipal, em marcha à ré, atingiu as crianças, duas de três anos de idade, uma de sete e outra de dez. O motorista Sidney Columbari afirmou que olhou pelo retrovisor e não viu ninguém.Segundo Cleusa, o motorista deu ré com bastante velocidade. "É um lugar tranqüilo. Nunca poderia imaginar um acidente ali", lamentou. O delegado do 1º Distrito Policial de Americana, onde a ocorrência foi registrada, Claudinei Albino Xavier, explicou que Columbari responderá a um inquérito por homicídio culposo (sem intenção de matar). Ele comentou que o guarda foi temporariamente afastado da função e também está bastante abalado."Ele costuma acompanhar estudantes em passeios escolares pela cidade", disse o delegado. Xavier acrescentou que viaturas da Guarda fazem patrulhamento constante no parque, patrimônio municipal. Cleusa alegou que o guarda deveria ter sido mais prudente, mas preferiu não culpá-lo. "A polícia vai apurar". Ela contou que era freqüentadora do parque, mas não sabe se vai voltar a visitá-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.