Guardas agridem pedestres, clientes de loja e ambulantes no Rio

Pedestres, clientes de uma loja de jogos eletrônicos e vendedores ambulantes foram espancados hoje, no centro do Rio, por guardas municipais. Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas e foram levadas para o Hospital Souza Aguiar. Após o tumulto, dois guardas teriam sido detidos por policiais militares, fato que não foi confirmado. O comércio foi fechado na região durante o tumulto.A confusão teve início nas imediações das ruas da Assembléia e Sete de Setembro, esquina com a Avenida Rio Branco, uma das principais vias da cidade. De acordo com o relato de testemunhas, guardas municipais agrediram violentamente um rapaz que vende sanduíches em lojas do centro, identificado como Marcos Vinícius da Silva, de 26 anos. Ele foi levado desacordado por homens da Defesa Civil para o hospital.Depois, o camelô Nilton Lima Costa, de 27 anos, que é deficiente físico, foi detido pelos guardas, acusado de vender mercadorias na Rua Sete de Setembro sem autorização. O comandante do 13º Batalhão da PM, tenente-coronel Sidney Coutinho, reforçou o policiamento no local. Pedestres e clientes de uma loja de eletrônicos foram agredidos durante a confusão.Cerca de 30 guardas municipais participaram da operação, que seria de repressão ao comércio ambulante, e dois teriam ficado levemente feridos no ombro. A assessoria de imprensa da Guarda Municipal informou que vai apurar a denúncia de espancamento e abuso de autoridade. De acordo com a instituição, se ficar comprovado o excesso por parte dos guardas, eles poderão ser demitidos por justa causa. A Guarda Municipal informou ainda que, nos últimos quatro meses, 23 camelôs foram detidos e 10 mil CDs piratas foram apreendidos.Em outro confronto entre camelôs e guardas municipais, na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, zona norte do Rio, pelo menos uma pessoa ficou ferida. A ocorrência foi registrada na 19.ª Delegacia e Polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.