Guardas de SP vão cuidar do trânsito e de áreas verdes

A Guarda do Trânsito vai apoiar os marronzinhos da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), enquanto a Guarda Verde fará segurança nos parques e nas áreas verdes de São Paulo. No centro, oito bases da Guarda Civil de São Paulo, abertas 24 horas, serão instaladas nas principais praças das região, como as da Sé e do Largo do Arouche. Esses são os principais planos para este ano da Secretaria Municipal de Segurança Urbana.Além de gastar R$ 5 milhões nesses investimentos, a Secretaria deve receber R$ 4 milhões da verba destinada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a revitalização do centro e outros R$ 10,5 milhões para a compra de equipamentos, dinheiro do Fundo Nacional de Segurança Pública que o Ministério da Justiça deverá repassar à Prefeitura para a compra de equipamentos para a guarda.O repasse do dinheiro federal foi pedido pela prefeita Marta Suplicy e pelo secretário Benedito Domingos Mariano ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. "Apresentamos nosso projeto de segurança ao ministro e ele decidiu apoiar as ações da prefeitura", afirmou Mariano. Segundo ele, os R$ 10 milhões devem ser liberados pelo governo federal até maio, pois a verba do fundo não foi atingida pelo contingenciamento de gastos.Recentemente, a Prefeitura comprou 72 carros da marca Corsa, todos com rádio de comunicação, e 3.100 coletes à prova de bala. Criou ainda um centro de formação para os guardas, que deverá aprovar seus primeiros 500 homens em março. O primeiro objetivo ainda neste ano é ampliar a segurança escolar para 100% da rede pública.Mariano quer ainda criar a Superintendência Ambiental, a Guarda Verde que cuidará dos 32 parques do município. Esse é um dos projetos que deverá contar com a verba do Ministério da Justiça para equipar os 500 homens que devem compor o setor.TrânsitoO outro projeto é o da Superintendência de Trânsito, que terá cerca de 300 homens e cujo objetivo será inibir a violência nas ruas, dando apoio operacional aos homens da CET. Essa superintendência vai usar as 180 câmeras da CET espalhadas pela cidade. "Enquanto o engenheiro verifica nas câmeras se o tráfego está fluindo, os guardas utilizarão as imagens contra a violência, podendo chamar pelo rádio carros da guardas para o local em que a infração for constatada."Até 2004, a Prefeitura pretende criar 38 bases comunitárias da guarda com 60 metros quadrados, que ficarão abertas 24 horas. Cada subprefeitura terá pelo menos uma. No centro, com o dinheiro do BID, serão oito dentro do projeto de revitalização da região. Já existe uma na Praça da República. As próximas serão instaladas na Praça da Sé, no Largo do Arouche, no Bexiga e na Praça Roosevelt. Ainda serão definidos os locais de outras três bases. "Vamos ter patrulhamento a pé, de bicicleta e motorizado", explicou Mariano. Atualmente, a guarda conta com 5.100 homens. Até setembro, ela terá 6.600. "O plano é atingir os 8.100 guardas em 2004."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.