Guardas municipais entram em greve em Belém

Cerca de 500 policiais da Guarda Municipal de Belém entraram em greve hoje por tempo indeterminado. Eles denunciam o sucateamento da instituição, falta de condições de trabalho e de equipamentos como coletes à prova de bala, armamento e munição em bom estado. Além disso, reivindicam do prefeito Edmilson Rodrigues (PT) o imediato afastamento do cargo do atual comandante da corporação, José Maria Silva de Freitas, a quem acusam de desviar dinheiro da associação dos policiais. O prefeito tem se negado a receber os representantes dos policiais. Revoltados, os guardas ocuparam o quartel, afirmando que só deixarão o local quando suas reivindicações forem atendidas. O comandante José Maria Freitas negou as acusações contra ele, dizendo não haver qualquer fundamento ou provas para incriminá-lo. "Quando fui presidente da associação, em 1996, cuidava apenas de questões políticas. As finanças eram da responsabilidade do tesoureiro, Iranildo Bonfim".

Agencia Estado,

19 Junho 2003 | 15h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.