Guerra de espadas mata mais um na Bahia

Atingido violentamente no rosto por uma espada junina, Washington Luís Henrique de Souza, de 29 anos, morreu ontem à noite na cidade de Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano. É a segunda vítima fatal este ano das terríveis "guerras de espadas", brincadeira perigosa, realizada com tipo de fogo de artifício fabricado artesanalmente semelhante a um buscapé, embora muito mais potente. No final de semana onde centenas de cidades do interior comemoraram com festa o São João, 86 pessoas se feriram em Cruz das Almas nas guerras de espadas para as quais foram preparadas pelos moradores da região mais de vinte mil peças. A "brincadeira" fez um ferido grave também no município de Senhor do Bonfim, no sertão, onde esse tipo de fogo de artifício, como em Cruz das Almas, é uma atração tradicional. Mário Silva foi atingido na boca por uma espada errante, fraturou a mandíbula e precisou ser transferido para o Hospital Geral do Estado (HGE) em Salvador onde permanecia internado até a tarde de ontem. Da noite de sexta-feira até a madrugada da segunda-feira 13 pessoas com ferimentos graves foram atendidas no HGE. O paciente que inspira mais cuidados é um homem que teve 40% do corpo queimado quando tentava acender uma fogueira. O estudante Rogério Santos, de 14 anos, um dos atendidos, sofreu ferimentos graves na mão direita por ter segurado um rojão do lado errado. "Foi só o susto, estou bem", disse, conformado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.