"Guerra de espadas" provoca morte na Bahia

A temível "guerra de espadas", tradicional comemoração junina com fogos de artifício do interior baiano, fez a primeira vítima fatal deste ano. O estudante Jorge Antonio dos Santos, de 15 anos, morreu na madrugada de hoje ao ser atingido por uma espada na cidade de Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano. A espada é um fogo de artifício fabricado artesanalmente, semelhante a um buscapé, contudo muito mais perigoso. É feita com tocos de bambus preenchidos com um preparado de pólvora, enxofre e limalha de ferro. Quando acessa, produz um jato incandescente e alcança alta velocidade. Além das queimaduras que provoca, o maior perigo da espada é quando ela atinge uma parte vital de uma pessoa, como ocorreu como o adolescente Jorge. Ele foi atingido no tórax violentamente, o que provocou uma hemorragia na sua aorta. Jorge morreu quando estava sendo atendido no hospital de Cruz das Almas. Logo após o acidente, amigos do estudante espancaram a esfaquearam Antonio Cerqueira, de 32 anos, a pessoa que soltou a espada que atingiu Jorge. Cerqueira permanece internado. Além das duas vítimas, outras 35 pessoas se feriram na guerra de espadas entre a noite de ontem e a madrugada de hoje em Cruz das Almas. Em Salvador, Wellington Souza, de 28 anos, perdeu os cinco dedos de uma das mãos ao segurar uma bombinha junina que explodiu no Bairro de Sussuarana, periferia da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.