Guerra de policiais em Alagoas mata estudante

O estudante de Direito, Flávio Humberto Alencar de Albuquerquer, 31 anos, foi assassinado a tiros, ontem à noite, por pistoleiros, que atiraram e fugiram em uma moto. Flávio foi confundido com o policial civil Valter de Lima, que prestou depoimento sobre a atuação de grupos de extermínios envolvendo policiais civis, militares e ex- militares. Ele dirigia o carro do policial e foi morto quando chegou na porta do prédio do policial civil. Ele foi executado dentro do carro, uma picape Explorer, que tinha emprestado do amigo.O corpo dele foi enterrado hoje à tarde, em Maceió. A família não quis falar sobre o crime. O policial que escapou confirmou que era o alvo eatribuiu o crime a integrantes de grupos de extermínio, que participam de uma "guerra" entre facções. As entidades de Direitos Humanos ainda não se manifestaram, mas deverão cobrar do secretário de Defesa Social, Robervaldo Davino, rigor na apuração do crime. Semana passada, Davino negou em depoimento na Assembléia Legislativa que haja guerra entre policiais em Alagoas. O delegado Geraldo Soares de carvalho, que investiga o crime, disse que ainda não tem pistas dos assassinos de Flávio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.