Guilherme de Pádua aguarda decisão de indulto

Guilherme de Pádua, condenado inicialmente a 19 anos de prisão pelo assassinato da atriz Daniella Perez, em 1992, pode receber indulto da Justiça mineira na próxima semana. Na quarta-feira, os dez integrantes do Conselho Penitenciário avaliam pedido neste sentido da Defensoria Pública do Estado e entregam seu parecer ao juiz da Vara de Execuções Criminais de Belo Horizonte, Cássio Salomé, que decide pela liberdade ou não do sentenciado.Em maio do ano passado, Pádua, de 31 anos e que atualmente cumpre liberdade condicional na capital mineira, onde vivem seus pais, teve a pena de 19 anos reduzida em 25% - ou seja, o término, que seria em 2011, passou a ser em 2007. A redução foi definida pelo próprio juiz Salomé, baseado em um decreto presidencial de 1999, sobre concessão de indultos e comutação de penas de presos, e no fato de o ator ter apresentado bom comportamento todo o tempo em que esteve preso.A Defensoria Pública mineira utiliza agora o mesmo decreto para requerer a liberdade definitiva de Pádua. Segundo os advogados, o documento prevê indulto para presos com pena superior a seis anos e que tenham filhos menores de 12 anos - como ocorre com o ator, que foi casado com Paula Tomaz, também acusada do assassinato de Daniella -, que não sejam reincidentes e que já tenham cumprido um terço das sentenças.Na semana passada, seis dos dez integrantes do Conselho Penitenciário se manifestaram a favor do indulto. A ausência no processo da certidão que confirma a sentença de Pádua, dada pela Justiça do Rio de Janeiro, no entanto, fez com que retirassem seus votos até que a documentação esteja completa, o que deve acontecer na quarta-feira. Pádua, que trabalha com informática na capital, não foi localizado para falar sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.