Guincho demora e motorista escapa só com a multa

Se o proprietário aparece na hora do serviço, o carro é liberado; ontem, 30 foram guinchados em São Paulo

Naiana Oscar e Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

25 de julho de 2008 | 00h00

Depois de quatro anos, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) voltou a guinchar anteontem veículos estacionados em local proibido na capital paulista. Mas o contrato firmado com a Prefeitura prevê que as empresas responsáveis pelos guinchos devem concluir o serviço em até dez minutos. Ontem, se o prazo fosse cumprido à risca, pelo menos seis motoristas não teriam escapado. No primeiro dia de operação, 29 veículos e 1 moto foram retirados das ruas - 70% deles foram recolhidos pela Polícia Militar, por causa de documentação irregular.Segundo a CET, o carro será liberado sempre que o motorista chegar antes do guinchamento - mesmo que o veículo já esteja na carroceria. Segundo a companhia, a remuneração da empresa não é feita por quantidade de carros guinchados. A reportagem acompanhou a operação de um dos dez guinchos a serviço da CET ontem pela manhã e, em todos os casos, os condutores chegaram depois dos dez minutos, mas antes do fim do serviço.O empresário Edilson Miguel, de 32 anos, escapou por pouco. Seu carro, estacionado em local proibido na Rua Bela Cintra, estava prestes a ser içado quando ele apontou na esquina e viu o guincho da CET. Chegou pedindo desculpas aos marronzinhos e dizendo que não tinha visto a sinalização. Da multa de R$ 127 e dos 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), não escapou, mas se livrou do transtorno de ter o carro levado para um pátio.O motorista foi avisado por um amigo. Como estava atendendo um cliente e tinha de continuar no local, levou o veículo para um estacionamento. "Paro aqui há dois anos e nunca aconteceu nada", disse o empresário, a cem metros do prédio da CET na Bela Cintra.Assim que o carro do empresário foi devolvido, os guincheiros reiniciaram a operação em outro veículo também irregular. O serviço já durava mais de meia hora quando a contabilista Maria Helena, de 38 anos, chegou. O alarme do carro já havia disparado três vezes. Foi ela se dar conta do que estava acontecendo e começar a chorar. "Minha carteira não tem nenhum ponto. Estava com pressa e não vi a placa." Em seguida, o mesmo guincho foi acionado para remover dois veículos na região do Parque D. Pedro. Os donos também conseguiram chegar a tempo de retirar os carros. LEI SECACinco dos 15 guinchos da CET serão usados em operações de rotina da PM, incluindo as blitze da lei seca. A cessão faz parte de convênio firmado entre o Município e o Estado em agosto do ano passado. "O guincho é uma ferramenta essencial porque, às vezes, a gente libera um veículo irregular por falta de meio (de remoção)", diz o major Ricardo Barros, comandante do 34º Batalhão. PASSO A PASSOComo retirar o veículo do pátio do Detran, caso ele seja guinchado: Quite todas as pendências do carro, como multas ou licenciamento atrasado, se for o caso Procure o guichês da CET no prédio do Detran Pague: de R$ 53,20 a R$ 127,69 de multa; R$ 353,80 da taxa do guincho; e R$27,70 por cada dia que o carro ficar no pátioBLITZGCM faz deficiente comer pastel em pé

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.