Há planos para revitalizar bairros inteiros da capital

Reformas vão desde a 25 de Março até a Cracolândia

O Estadao de S.Paulo

24 Agosto 2008 | 00h00

Na mesa dos técnicos da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) já repousam 12 novos termos de cooperação para análise. A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras conta com outros 54 documentos que ainda passam por estudos. Eles vão da adoção de uma praça na região da Consolação e a reforma da passarela na frente do Aeroporto de Congonhas até a criação de ciclovia em Pirituba e revitalizações de bairros inteiros. Caso todos os projetos sejam realmente aprovados, a cifra de investimentos por força dos termos de cooperação pode chegar a quase R$ 300 milhões - o mesmo valor da construção de 12 centros educacionais unificados, os CEUs, ou mais que uma Ponte Estaiada. "É uma maneira de melhorar a infra-estrutura da cidade, mas sem exagerar nas propagandas", diz a diretora de paisagismo da Emurb e presidente da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana, Regina Monteiro, responsável por aprovar a publicidade dos termos de cooperação. "É sim uma galinha dos ovos de ouro, mas feita com absoluto cuidado para valorizar São Paulo." Entre os projetos que ainda esperam o "sim" da empresa está um megaplano de revitalização do Brás, um dos bairros mais antigos da cidade, que teria cerca de 10 mil lojas com as fachadas redesenhadas. Os arquitetos responsáveis, do escritório Kallipolis, esperam colocá-lo em prática até o fim do ano - as primeiras intervenções serão na região da Rua Monsenhor de Andrade. O trilho do trem será requalificado e um túnel ligará o bairro à Zona Cerealista. Numa segunda fase, que sairá do papel quando as cotas de patrocínio forem vendidas, o Brás ganhará paisagismo unificado, com adequação das fachadas e do mobiliário urbano. Há também projetos semelhantes sendo atualmente desenhados para a Rua 25 de Março, a Santa Ifigênia, a Cracolândia e o Glicério (este último teria uma versão paulistana da Chinatown, a pedido dos comerciantes chineses da região). A Barra Funda tem um estudo ainda mais ambicioso - o arquiteto Márcio Lupion, responsável pela reforma da Liberdade, que também está sendo feita em cima de um termo de cooperação, entrou em contato com um diretor da Rede Globo para colocar o bairro em uma novela. Seria assim mais fácil conseguir patrocínio para reformar a região; ao mesmo tempo em que as ruas apareceriam sendo revitalizadas na trama, ganhariam reformas de verdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.