Há quem economize na feira para ir à festa

?Fiquei um mês sem fazer feira pra comprar esses ingressos, filho.? Mais que samba, as arquibancadas do Sambódromo do Anhembi contam histórias. Com todos os 30 mil ingressos vendidos, o segundo dia de desfiles trouxe mais gente, mais animação e episódios que iam além do samba. Depois de economizar até na feira para poder assistir ao desfile da Vai-Vai, escola do coração, a funcionária pública Ana Alice Martins Cardoso, de 46 anos, estava cansada. Viu e vibrou com o desfile da escola do Bexiga e, realizada, preferia ir embora. ?Mas de que jeito? Carro eu não tenho. Dinheiro para táxi, muito menos. Tem jeito não, tem que ficar?, disse ela. Próximo dela, o entregador Valmir das Neves Novaes, de 35 anos, sambava com cuidado, protegendo as pequenas sacolas carregadas de suco, água, lanche, bolacha, capa de chuva. ?Pensamos em tudo, para economizar ao máximo.? Ele, que foi ao sambódromo com a namorada e alguns amigos, disse que há oito anos não perde um desfile. ?E, neste ano, mesmo com a minha escola não estando aqui, a Camisa Verde e Branco, eu vim de novo?, comentou. Mas nem todos ali tinham essa experiência de anos de avenida. ?É a nossa primeira vez?, disse o funcionário público Adilson Barbosa, de 40 anos, que dançava e abraçava a mulher Abigail Barbosa, de 35, que sempre sonhou em ver os desfiles de perto. ?Foi uma surpresa que fiz para ela. Cheguei um dia antes balançando os ingressos e disse: ?comprei?.? ?Ah, eu adorei?, disse Abigail, que deixou os dois filhos, uma menina de 18 e um menino de 13 em casa, um cuidando do outro. ?Hoje é a nossa vez.? Enquanto isso, a atendente Janaína Coelho, de 21 anos, despertava no concreto da arquibancada. ?Estou aqui desde ontem?, disse ela, que desfila há 18 anos. ?A primeira vez foi na Camisa (Verde e Branco), com 3 anos. Este ano saio na Leandro (de Itaquera), no Grupo de Acesso.? Apesar de ter saído em diversas escolas, ela é Vai-Vai de coração. ?Amo a Vai-Vai, mas não vejo problema em sair em outras escolas. Acima de tudo está o carnaval.? Também na arquibancada, o dançarino Washington Timbó, de 22 anos, disse ser fã de samba, mas seu visual... ?O estilo black power é meio diferente, né? Mas pode crer, o samba tá na veia.?

Agencia Estado,

19 Fevereiro 2007 | 08h11

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.