Habeas-corpus é negado e Suzane continuará presa

O desembargador Damião Cogan negou nesta segunda-feira, 24, a liminar com o pedido de habeas-corpus em favor de Suzane Von Richthofen. Ele manteve, assim, decisão do juiz da 1ª Vara do Júri Richard Francisco Chequini, que no último dia 10 decretou a prisão preventiva dela.Suzane está envolvida no assassinato dos próprios pais, Manfred e Marise, em outubro de 2002. Eles foram mortos a pancadas e por asfixia por Daniel Cravinhos, namorado de Suzane, e pelo irmão dele, Cristian. Ambos também estão presos preventivamente e o julgamento popular do trio está marcado para o dia 5 de junho.Em sua decisão, o desembargador destaca que Suzane é ré confessa, e esteve presa por cerca de três anos, durante toda a instrução do processo. Ainda segundo ele, o julgamento de mérito do habeas-corpus ocorrerá em breve, perante uma das Câmaras Criminais, não se justificando sua liberdade provisória, nesta fase.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.