Andre Dusek/AE
Andre Dusek/AE

Haddad, pré-candidato, anda de bicicleta no DF

No lançamento do programa Caminho da Escola, ministro - cotado para a Prefeitura de São Paulo - diz que só fala de eleições nos finais de semana

Vannildo Mendes, O Estado de S.Paulo

27 Agosto 2011 | 00h00

Pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, o ministro da Educação, Fernando Haddad (PT), preferiu dar os primeiros passos da jornada de bicicleta. Foram 300 metros de pedaladas pela avenida central da cidade satélite do Recanto das Emas, a 30 quilômetros do Plano Piloto, durante o lançamento, ontem, do programa Caminho da Escola.

Haddad tem o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff. Estreante nas urnas, ele sabe, porém, que o caminho é difícil e cheio de armadilhas. Ele terá de vencer primeiro a disputa interna com a senadora Marta Suplicy e, depois, convencer o candidato peemedebista, Gabriel Chalita, a retirar seu nome do páreo.

Indagado se considerava superada ao menos a primeira etapa, Haddad negou: "Longe disso, estamos dialogando", disse. Diante da insistência dos repórteres, ele mudou de assunto, alegando que sua prioridade é tocar as ações do ministério. "Esse é um assunto (a candidatura) que eu trato só no final de semana e em São Paulo", desconversou.

Criado pelo MEC para facilitar o deslocamento dos estudantes no meio rural e nas pequenas cidades de até 20 mil habitantes, o Caminho da Escola começa por Brasília porque a cidade, segundo o ministro, tem uma cultura de trânsito, reconhecida no País, de respeito a pedestres e ciclistas. Até 2012 será distribuído 1 milhão de bicicletas, as primeiras 100 mil este ano.

Exigências. Os alunos, que devem estar matriculados no ensino médio, ainda precisam fazer um treinamento e obter licença do Detran para ganhar a bicicleta. O objetivo, segundo Haddad, é desenvolver o programa de forma paulatina e cautelosa. "Não podemos pôr em risco a segurança das pessoas, agindo de maneira atabalhoada", enfatizou.

Haddad fez o percurso acompanhado do governador Agnelo Queiroz (PT), autoridades e estudantes beneficiados pelo programa. Cuidadoso com a aparência, o ministro colocou o capacete com jeito para não desfazer o penteado. Sob o sol forte do meio-dia, ele só tirou o paletó antes de subir na sua bicicleta.

O programa não deixa de ter apelo eleitoral. "Para nós é um incentivo", disse a estudante Mariana Santos, da rede pública local, uma das participantes. "O ministro é bonitinho... Ele é candidato a quê, mesmo?", indagou. A secretária de Educação do DF, Regina Vinhais, carregou no confete ao destacar, em discurso, os méritos de Haddad. "O senhor é o melhor ministro da Educação que já tivemos no Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.