Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Haddad quer ampliar escopo de operação e fiscalizações noturnas

Prefeito confirma troca no comando da GCM, sai Joel Malta de Sá e entra Eduardo de Siqueira Dias

Daiene Cardoso,

16 de janeiro de 2013 | 14h02

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou na manhã desta quarta-feira, 16, que pretende aumentar o escopo da Operação Delegada (com a participação de policiais militares no serviço de segurança da cidade). Para o prefeito, novas funções precisam ser agregadas à operação de forma a aumentar inclusive as fiscalizações noturnas.

"A cidade fica um pouco desprotegida à noite e precisamos atuar na fiscalização noturna", justificou o prefeito. De acordo com Haddad, a polícia militar já se manifestou favorável ao redimensionamento das ações da Operação Delegada.

O prefeito confirmou a troca no comando da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e disse que a decisão faz parte do processo de troca de governo. Deixou a GCM Joel Malta de Sá, substituído por Eduardo de Siqueira Dias.

Afastamento

O guarda-civil metropolitano Luciano Medeiros, filmado agredindo skatistas na Praça Roosevelt no dia 4, na região central, foi suspenso por quatro meses. A decisão publicada no Diário Oficial de terça-feira, 15, determina também que seja instalado inquérito administrativo contra ele e contra o guarda Elias dos Anjos Prestes, que também participou da ação. As decisões foram tomadas a partir de relatório feito pela Corregedoria da Guarda Civil Metropolitana (GCM).

A suspensão foi determinada 11 dias depois da agressão. O caso teve repercussão depois que um vídeo que mostra Medeiros dando uma "gravata" e agredindo verbalmente skatistas foi divulgado na internet e teve mais de 3 milhões de visualizações.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação DelegadaHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.