Hamilton Lacerda será ouvido novamente pela PF

O delegado Diógenes Curado Filho, responsável pelo inquérito que apura o caso dossiê, espera concluir as investigações sobre a origem do R$ 1,75 milhão para ouvir pela segunda vez Hamilton Lacerda, ex-assessor de comunicação da campanha do senador Aloizio Mercadante. Ele é apontado nas investigações como o "homem da mala". Lacerda teria levado o R$ 1,75 milhão a Gedimar Passos, ex-integrante do núcleo de inteligência da campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e Valdebran Padilha, ligado ao diretório do PT em Mato Grosso. O depoimento será realizado na Superintendência da PF em São Paulo. Na mesma oportunidade, o delegado ouvirá funcionários da PF paulista com o objetivo de apurar a denúncia publicada pela Revista Veja segundo a qual o ex-guarda-costas do presidente Lula, Freud Godoy, teria se encontrado com Gedimar Passos nas dependências da PF no dia 18 de setembro.Naquele dia, Gedimar ainda se encontrava preso na sede da PF em São Paulo e Freud foi ao local para depor. A visita teria ocorrido fora do horário regular e sem autorização e o objetivo do encontro, segundo a revista, era fazer com que Gedimar recuasse na versão de que Freud seria o mandante do pagamento. A Superintendência da Polícia Federal de São Paulo, nega a visita e afirma considerar levianas e fantasiosas as informações.A PF suspeita que Lacerda usava um telefone celular pré-pago em nome de uma mulher. Deste número existem ligações para a maior parte dos envolvidos no escândalo, entre eles Oswaldo Bargas, ex-integrante do comitê de campanha do presidente. Colaborou Sônia Filgueiras

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.