Hantavírus provoca quinta morte em Ribeirão Preto

A Vigilância Epidemiológia de Ribeirão Preto confirmou a quinta morte por hantavirose na região este ano. Uma mulher de Sertãozinho morreu no dia 19, no Hospital São Francisco, em Ribeirão Preto, com os sintomas característicos da doença, que é provocada pela urina ou por fezes de ratos silvestres. O Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, confirmou o óbito.Em março, os dois primeiros casos de morte surgiram em trabalhores rurais de Pontal e Santo Antônio da Alegria. Em São Carlos, duas pessoas morreram. Outros casos foram registrados, mas com sobrevivência dos pacientes. Em Sertãozinho, por exemplo, um empresário de 41 anos contraiu a doença, mas recuperou-se. O Instituto Adolfo Lutz deverá investigar a região onde morava a vítima de Sertãozinho, capturando ratos silvestres para análise.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.