Sebastião Moreira/Efe
Sebastião Moreira/Efe

Helicópteros realizam traslado de 16 corpos resgatados no mar

Eles serão examinados em Noronha e depois seguem para Recife; oito corpos continuam em fragata da Marinha

Ângela Lacerda, da Agência Estado,

09 de junho de 2009 | 07h22

Os helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) realizam na manhã desta terça-feira, 9, a operação de traslado para Fernando de Noronha de 16 corpos de vítimas do acidente com o voo 447 da Air France. No total, já foram resgatados 24 corpos.

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

video Vídeo: Operação de resgate

som Ouça a coletiva desta segunda-feira sobre o resgate dos 16 corpos

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

O mau tempo na região atrasou o início da operação, previsto para o fim da madrugada. São utilizados dois helicópteros, o Super Puma e o Black Hawk, que içarão os corpos, preparados e acondicionados em contêineres frigoríficos na fragata Constituição. O navio está a cerca de 50 quilômetros do arquipélago e a operação de traslado deve durar uma hora e meia.

 

Os corpos passarão pela primeira etapa de identificação realizada por uma equipe de oito peritos da Polícia Federal (PF) e Polícia Civil assim que chegarem a Fernando de Noronha. Esta fase consiste na coleta de impressões digitais, material genético para exame de DNA e catalogação de pertences, como anéis, relógios, brincos e roupas. Os peritos trabalharão em um espaço montado pela Aeronáutica com mesas e contêineres frigoríficos.

 

As digitais serão enviadas à PF em Recife para cruzamento de dados e o material genético segue para laboratórios da PF em Brasília para exames de DNA, onde será confrontado com o material colhido dos familiares no Hotel Windsor, no Rio.

 

Ainda nesta terça-feira, os 16 corpos serão levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Recife, onde será concluída a identificação com exames antropológicos. A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco infoormou que o trabalho no IML não relacionado às vítimas do voo 447 pode ser transferido para hospitais públicos se houver necessidade, para priorizar o serviço relacionado aos corpos recolhidos do mar.

 

O IML de Recife conta com 329 papiloscopistas, 105 médico legistas e 167 peritos, e recebeu o reforço de oito policiais federais especialistas na identificação de corpos. Desde domingo, 7, um cerco de policiais isolou a rua onde funciona o instituto, no bairro de Santo Amaro, impedindo que populares e jornalistas se aproximem do local.

 

Mais corpos

 

Oito corpos resgatados na segunda-feira, 8, estão a bordo da fragata Bosísio e não há previsão de chegada a Fernando de Noronha. Eles foram encontrados a 440 quilômetros a Nordeste do arquipélago São Pedro e São Paulo, um pouco além das águas jurisdicionais brasileiras.

 

Texto atualizado às 9h20.

Tudo o que sabemos sobre:
acidenteaviãoAir Francevoo 447corpos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.