Heloísa defende Amazônia e ataca trabalho escravo

A candidata a Presidência da República, Heloísa Helena (PSOL), defendeu nesta terça-feira, 15, em Belém, uma política séria do governo federal que compatibilize a preservação da Amazônia com a geração de emprego e renda aos mais de 20 milhões de brasileiros que vivem na região. Ela também prometeu ser "implacável" no combate ao trabalho escravo na região. "Onde estiver um escravo, nós estaremos lá para combater quem o escraviza", disse a senadora. Segundo ela, não precisa muito esforço para isso, basta cumprir a lei. Para Heloísa Helena, é inaceitável que a Amazônia se predisponha a copiar outros modelos de agropecuária devastadora. "O mais importante para a região é garantir todo o seu potencial de desenvolvimento econômico sustentável, com geração de emprego e renda, utilizando a biodiversidade amazônica e a produção de ciência e tecnologia", disse. Heloísa lamentou o pouco tempo de que dispõe na propaganda eleitoral gratuita de rádio e TV e destacou a necessidade de uma reforma política no País. Ela terá cerca de um minuto, nos quais, garantiu , fará "o milagre" de expor suas propostas para o Brasil "sem deixar de fazer a necessária condenação à roubalheira e à corrupção". A senadora participou de carreata pelas ruas da capital paraense, fez caminhada no bairro do Jurunas, um dos mais pobres da cidade, e à noite realizará comício.O presidente e candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva voltou a ser fustigado pela senadora. Depois de lamentar que ele tenha deixado vazia sua cadeira no debate promovido pela Rede Bandeirantes, na segunda-feira, a candidata disparou: "espero que nos próximos debates ele não seja tão arrogante e covarde e apareça para expor suas idéias para que possa ser questionado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.