Heloísa diz que PT está virando uma organização criminosa

O envolvimento de um integrante da Executiva do PT na compra do dossiê Vedoin, que está sendo investigado pela PF, levou neste domingo a candidata Heloisa Helena, do PSOL, a declarar que a novidade, na reta final das disputas eleitorais, não a surpreendeu: "Sinceramente, não me surpreende", disse Heloísa Helena. "São tantas coisas num lixo de podridão, delinqüência de luxo, arrogância política, perseguição implacável que eu nem consigo mais me surpreender com o que vejo", disse, acrescentando que o "PT está virando uma organização criminosa capaz de qualquer coisa para liquidar quem esteja à sua frente e passe a ameaçar seu projeto de poder."Heloísa Helena não descartou o envolvimento do partido do presidente no escândalo porque, entende, existem no momento dois PTs: "Sei que existem pessoas honestas dentro do PT, militantes, dirigentes, parlamentares", afirmou. "Mas, infelizmente, hoje, a cúpula e o governo Lula..."A presidenciável do PSOL evitou relacionar o dossiê diretamente ao presidente da República: "Sobre esse caso eu não sei se ele (Lula) sabia ou não", afirmou. Mas, explicou, o seu desconhecimento sobre uma suposta participação presidencial não a induz a acreditar na inocência do candidato petista à reeleição e o seu partido:"Ele (Lula) sabia da roubalheira, dos mensaleiros, de sanguessugas e outros crimes contra a administração pública e quanto a isso eu não tenho dúvidas", afirmou em Goiânia. "Deixa-me dizer uma coisa", falou Heloísa Helena. "Se o presidente da República não estivesse envolvido diretamente em toda essa bandalheira e patifaria política ele teria investigado, primeiro, os dólares nas peças íntimas do vestuário masculino de um dirigente petista", questionou.Ela se referiu à descoberta, pela Polícia Federal, de US$ 100 mil na roupa íntima do assessor do irmão de José Genoino, José Adalberto Vieira da Silva, no ano passado. "Até porque dólares é mais difícil de encontrar; dinheiro sem origem, seja real ou dólar, só o narcotráfico e o crime organizado é que têm", afirmou.A presidenciável do PSOL disse mais: "É preciso investigar", avaliou. "Se não investiga, (o governo) fica sob suspeita", acrescentou. "Só existia sanguessugas porque gente do governo liberou dinheiro para esse tipo de banditismo político", completou.

Agencia Estado,

17 de setembro de 2006 | 17h32

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.