Heloísa Helena deixa comando do PSOL

A vereadora Heloísa Helena, candidata derrotada ao Senado por Alagoas, anunciou ontem seu afastamento da presidência nacional do PSOL. Em nota divulgada por sua assessoria, ela disse que estava apenas formalizando o que era uma realidade havia meses.

Ricardo Rodrigues / MACEIÓ, O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2010 | 00h00

Durante o primeiro turno da campanha presidencial, Heloísa não apoiou Plínio de Arruda Sampaio, o candidato de seu partido ao Palácio do Planalto. Ela defendia a candidatura de Marina Silva (PV), posição que manteve mesmo depois que Plínio foi escolhido candidato do PSOL à Presidência.

Heloísa declara que sua decisão foi tomada levando em conta a "total falta de identidade" com as posições adotadas pelo partido na campanha eleitoral. Além disso, ela alega que o PSOL sofre as consequências de um "aprofundamento da desprezível carnificina política, ora transparente, ora dissimulado, mas absolutamente claro".

Na nota distribuída à imprensa, Heloísa destaca ainda ter sido eleita presidente nacional do PSOL por uma chapa minoritária e se afasta de suas funções em respeito à militância. Questiona também a posição de dirigentes do partido que declararam apoio à candidata Dilma Rousseff (PT), na disputa pelo segundo turno contra o candidato José Serra (PSDB).

Por fim, a vereadora e ex-senadora agradece a solidariedade da população alagoana com relação à sua derrota para o Senado, nas eleições deste ano. "Registro que enfrentei o mais sórdido conluio entre os que vivem nos esgotos do Palácio do Planalto - ostentando vulgarmente riquezas roubadas e poder - e a podridão criminosa da política alagoana."

NOTA DE AFASTAMENTO

Agradeço a solidariedade de muitos diante da minha derrota ao Senado. (...) Registro que enfrentei o mais sórdido conluio entre os que vivem nos esgotos do Palácio do Planalto - ostentando vulgarmente riquezas roubadas e poder - e a podridão criminosa da política alagoana. Sobre esse doloroso processo só me resta ostentar orgulhosamente as cicatrizes, os belos sinais sagrados dos que estiveram no campo de batalha sem conluio, sem covardia, sem rendição!

Comunico à Direção Nacional e militância do PSOL a minha decisão de formalizar o que de fato já é uma realidade há meses, diante das alterações estatutárias promovidas pela maioria do DN me afastando das atribuições da presidência. (...) Em respeito à nossa militância e aos muitos dirigentes que tanto admiro e por total falta de identidade com as posições assumidas nos últimos meses pela maioria das instâncias nacionais (culminando com o apoio a candidatura de Dilma!) tenho clareza que melhor será para a organização e estruturação do partido o meu afastamento e a minha permanência como militante fundadora do PSOL. Avante Camaradas!HELOÍSA HELENA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.