Heloísa Helena em comício: "Só não vale me matar"

A candidata do PSOL à Presidência da República, Heloísa Helena, fez, nesta segunda-feira, uma advertência aos ministros que têm criticado sua candidatura. A senadora chegou a sugerir a hipótese de ter sua morte encomendada, alegando reconhecer que seus adversários são capazes de tudo."Estou ficando meio cansada de, ao invés de trabalhar para justificar o salário que ganho, ao invés de ir ao palanque com o povo brasileiro, explicar os mensaleiros, trambiqueiros, sanguessugas. Tem que parar de ficar batendo em mim na imprensa todo dia. Isso é muito feio. Quero fazer um apelo: só não vale me matar, porque dizem que ali tem de tudo. Sou mãe de família, quero continuar criando os meus filhos. Portanto, no vale tudo, não vale mandar me matar, porque sei que são capazes de mentir, de caluniar", afirmou.O pronunciamento foi feito durante um pequeno comício, no encerramento da caminhada da frente de esquerda pelo centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, realizado na Praça do Pacificador.A caminhada durou uma hora e a manifestação final, cerca de 30 minutos. Nela, alguns vereadores atacaram duramente o ex-governador Anthony Garotinho (PMDB), que anunciou, na semana passada, seu apoio a Heloísa Helena."Estamos com 500 pés atrás em relação a este voto do Garotinho na companheira Heloísa Helena", disse Cyro Garcia (PSTU). Segundo ele, Garotinho e a mulher, a atual governadora, Rosinha Garotinho, destruíram a educação e a saúde no Estado e são uma "quadrilha que tomou conta do Palácio Guanabara."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.