Heloísa Helena propõe reduzir juros para equilibrar câmbio

A senadora Heloísa Helena (PSOL), candidata da coligação Frente de Esquerda, afirmou que é fundamental a alteração da política econômica do governo para permitir um maior crescimento da economia. Para senadora, reduzir os juros pela metade permitiria equilibrar o câmbio, reduzir a importação e conseguir R$ 170 bilhões de dinheiro novo para fazer os investimentos necessários, inclusive em políticas sociais."Vivemos um momento de estagnação econômica em função dos juros altos, do câmbio baixo e do aumento da importação, o que está provocando uma quebradeira na indústria, no comércio, na agricultura", disse, em campanha em Florianópolis. Pela manhã, Heloísa Helena disse, em Porto Alegre, que sua campanha está mais voltada para a apresentação de um programa que possa "desmascarar a farsa técnica e a fraude política do projeto representado pelo PT e pelo PSDB" do que numa estratégia baseada em roteiros de viagem ou pesquisas eleitorais."Vamos priorizar o debate programático e fazer a disputa no imaginário popular em torno de outra alternativa de desenvolvimento econômico e inclusão social", reiterou, prometendo baixar juros, equilibrar o câmbio e alongar a dívida dos Estados com a União se estiver no Palácio do Planalto em 2007.Ao contrário de domingo, quando passeou entre milhares de pessoas no Brique da Redenção, Heloísa Helena encontrou um movimento fraco e de pessoas menos interessadas em política na única atividade do dia, uma visita ao centenário Mercado Público de Porto Alegre. A senadora fez um rápido passeio cumprimentando donos e funcionários de bancas e os poucos clientes que já circulavam pelo local às 9h30min. Em meio a caminhada, parou para tomar um sorvete, acompanhada do candidato ao governo do Rio Grande do Sul, Roberto Robaina, da deputada federal Luciana Genro, que concorre à reeleição, e de cerca de 50 militantes do PSOL que gritavam palavras de ordem para divulgar as candidaturas. Ao meio-dia, Heloísa Helena viajou para Florianópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.