Heloísa propõe repressão implacável aos chefes do PCC

A candidata à Presidência da República do PSOL, senadora Heloísa Helena, cobrou nesta segunda-feira, 07, uma repressão implacável aos "chefões" do crime organizado, de fora e de dentro dos presídios."O crime organizado ataca em São Paulo para dar exemplo do que pode fazer em outras unidades da federação", afirmou a senadora, em campanha em Palmeira dos Índios, a 140 quilômetros de Maceió. A candidata propôs que o governo federal coordene um novo pacto federativo de segurança pública para enfrentar o crime organizado de forma profissional, utilizando-se do serviço de inteligência e da Polícia Federal para chegar aos chefes da organização."O presidente Lula precisa deixar o discurso demagógico de lado e sentar com o governo paulista para traçar um plano de emergência para a segurança pública de São Paulo", defendeu Heloísa. Para ela, a população de São Paulo não pode continuar refém do crime, "enquanto o presidente e o governador discutem de quem é a responsabilidade pela crise".Segundo a senadora, o governo Lula não trata o combate à criminalidade como prioridade. Ela revelou que dos R$ 500 milhões previstos para a segurança pública de São Paulo em 2006, o governo federal só teria liberado R$ 100 milhões. "Além disso, o governo Lula reduziu em 20% a verba de segurança reservada no Orçamento Geral da União".Palmeira dos Índios é a cidade onde Heloísa Helena passou sua infância. No final da manhã, ela visitou a Casa Museu Graciliano Ramos e disse que foi na residência do escritor de Vidas Secas que tomou gosto pela leitura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.