Hemodiálise contamina pacientes em Sorocaba

Os 123 pacientes da unidade de hemodiálise do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) estão recebendo água contaminada com bactérias desde o final do ano passado. Como a contaminação não causava danos sensíveis aos doentes, as sessões de hemodiálise, indispensáveis para a saúde dessas pessoas, foram mantidas.Um caso de contaminação mais grave, detectado na última quarta-feira, 29, levou a administração do hospital, mantido pelo Estado, a optar pela suspensão do atendimento. Um paciente apresentou tremores e febre, sintomas da ação da bactéria no organismo. Os doentes, que são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), serão transferidos para que a unidade seja reformada.Bactérias no filtroA hemodiálise é feita através de máquinas que fazem a função do rim em doentes renais crônicos, eliminando as impurezas do sangue. No processo de limpeza do sangue, é usada água purificada. De acordo com a supervisora da unidade, Cristiane Tomiyama, o foco de bactérias instalou-se em um dos quatro filtros usados no sistema de purificação. O sistema passou por um processo de desinfecção, mas o agente patogênico não foi eliminado. Os filtros serão substituídos. A reforma de todo o conjunto vai custar R$ 500 mil. Como os hospitais de Sorocaba não têm vagas, os pacientes serão transferidos para as unidades de nefrologia dos hospitais de Itu, Itapetininga e Itapeva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.