Heráclito Fortes vai requerer CPI das ONGs após eleições

O senador Heráclito Fortes anunciou na terça-feira que já tem 35 assinaturas para requerer a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das ONGs, oito a mais do que as 27 necessárias. Mas só vai apresentar o requerimento depois do segundo turno da eleição. "Por enquanto, nossa prioridade é vencer a eleição", disse Heráclito.O objetivo de Heráclito Fortes não é investigar o dossiê Vedoin, que os petistas utilizariam para prejudicar candidatos tucanos. "Isso é um problema da Polícia Federal. Quero saber é do repasse do dinheiro para as ONGs", disse o senador.Para Heráclito, o mais importante é pegar petistas que montam ONGs e recebem dinheiro do Governo Federal. Jorge Lorenzetti, que era o chefe do núcleo de inteligência da campanha petista e que assumiu a idéia de compra do dossiê Vedoin, é ligado à ONG Unitrabalho, que recebeu R$ 18 milhões dos cofres federais e mais R$ 4 milhões da Fundação Banco do Brasil. Ele também é fundador, junto com Lula, Ricardo Berzoini, presidente do PT, e Aloizio Mercadante (PT-SP), da RCT (Rede de Comunicação dos Trabalhadores).Ele afirmou não ter receio de que por pressão do governo senadores comecem a retirar as assinaturas. "Se tirarem uma, ponho outro. Tenho estoque", afirmou o senador, que também integra o conselho político do candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin.Heráclito contou que entre os que requerem a CPI há três de petistas: Serys Slhessarenko (MT), Saturnino Braga (RJ) e Paulo Paim. Serys está sendo investigada no Conselho de Ética do Senado por suspeita de ligação com a máfia dos sanguessugas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.