História do cabelo vira samba na Camisa Verde e Branco

Escola conquistou o vice-campeonato do Grupo de Acesso no ano passado, em São Paulo

Aline Scátola, SÃO PAULO

02 de fevereiro de 2008 | 11h08

SÃO PAULO - Depois de conquistar o vice-campeonato do Grupo de Acesso no ano passado, a Camisa Verde e Branco volta a desfilar neste sábado, 2, pelo Grupo Especial em São Paulo com um samba-enredo sobre um assunto no mínimo inusitado: o cabelo. "Da Pré-história ao DNA: A História do Cabelo eu Vou Contar" é o que o diretor de comunicação, Antonio Cirillo, o Toninho, considera "um tema rico e nunca antes explorado". Veja também:Veja as fotos do 1º desfileVila Maria e Rosas de Ouro são os destaques da 1ª noite Qual escola será campeã em SP? A escola conta com quem sabe do assunto. Os cabeleireiros Jassa e Jacques Janine e o "cabeleireiro e maquiador das estrelas" Celso Kamura estão confirmados no Sambódromo, e o enredo anuncia "Crespo, grisalho, bem liso, loiro ou colorido, neste carnaval Camisa Verde dá o tom do visual!".

Trauma
Fundada em 1953 na Barra Funda, a Camisa Verde e Branco foi uma das comunidades que ajudou na criação da Liga das Escolas de São Paulo. Já conquistou 15 títulos e entra este ano na avenida para "superar todos os traumas vividos em anos anteriores e mostrar que de fato é uma das grandes escolas do carnaval paulistano", afirma Toninho. O trauma foi a má colocação em 2006, que a tirou da elite do samba paulistano por um ano. Não era a primeira vez que a agremiação passava por um momento difícil. Em 1996, um rebaixamento deu à Camisa Verde e Branco experiência para superar crises, e logo no ano seguinte a escola conquistava novamente uma vaga no Grupo Especial.O desfile "tecnicamente perfeito", que tem início previsto para as 22 horas deste sábado, é o objetivo principal da agremiação este ano. A escola também aposta em uma atração à parte com o carro abre-alas. Mas o diretor não adianta detalhes. "Será uma surpresa mesmo". Entre os 3.200 integrantes, saem este ano a cantora e dançarina Gretchen, a atriz Elke Maravilha e o jornalista Luciano Faccioli. Celson Mody puxa a letra do samba, que, na bateria, conta com a rainha Renata Souza. As fantasias do mestre-sala, Claudio Adão, e da porta-bandeira, Claudia Adão, fazem parte do mistério que o carnavalesco Rodrigo Siqueira quer manter até a hora do desfile.Até duas semanas antes de entrar no Sambódromo, a escola do presidente Delson Ribeiro já tinha investido R$ 1 milhão, entre verba da prefeitura, direitos de transmissão do desfile pela televisão e colaboração da iniciativa privada. O desfile da Camisa Verde e Branco está . Para Toninho, a escola entra com uma idéia fixa: "com certeza vamos brigar pelo título". Confira o samba-enredo da Camisa Verde e Branco, composto por Leonardo Trindade, Rodney Cheto e Marcinho Keleque:Da Pré-história ao DNA: A História do Cabelo Eu Vou ContarO meu canto no ar... Se espalhaPioneiro é raiz... Da almaA família Verde e Branco é emoçãoDelírio dessamultidãoViajei na memória pra contar (lalaia)Do presente a pré-históriaFio a fio desvendarQuem guarda o corpo, faz a cabeçaFoi primitivo numa loucaseduçãoTornou, mais belos os reis e rainhasTemido na mitologiaNa Grécia e Roma definia classes sociaisSe fez tão nobre, ganhando força e paixãoQuem não se lembra dos cabelos de SansãoÉ crença, é religião... É féSalve a rainha do mar... AxéE no meu ritual a Barra Funda éRaiz profunda de quem tem samba no péJogue suas tranças, vem ser criançaNum Mundo de fantasiasReviver um tempo de um movimentoTropicalizado em melodias"O teu cabelo nãonega"De onde veio vocêCrespo, grisalho, bem liso, loiro oucoloridoNeste carnavalCamisa Verde dá o tom do visual!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.