Holandeses são indiciados por abandonar crianças em veleiro no Rio

Eles não poderão deixar o Brasil enquanto caso não for julgado; família faz uma viagem pelo mundo

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

27 Julho 2011 | 18h13

RIO - Os holandeses Hendrikus Petros Maria e Ivete Theodora Adriana foram indiciados por abandono de incapaz, por terem deixado os três filhos, com idades entre 4 anos e 7 meses, sozinhos em um veleiro, ancorado a 300 metros do Iate Clube do Rio de Janeiro, na Urca, zona sul. As crianças foram resgatadas por bombeiros depois que pescadores ouviram o choro que vinha da embarcação. A família não pode deixar a cidade até que o caso seja julgado.

 

Os gritos das crianças - um menino de 4 anos, uma menina de 2, e um bebê de 7 meses - foram ouvidos por pescadores, por volta das 20 horas, que avisaram o 1.º Grupamento Marítimo (GMar) de Botafogo. Os bombeiros, então, começaram a procurar as crianças por entre os barcos ancorados, até encontrar os holandeses. Os irmãos não usavam coletes salva-vidas.

 

Os três foram levados para o Iate Clube, onde havia um vernissage do artista plástico Eduardo Camões, com cerca de 100 convidados. "Minha mãe veio correndo, dizendo que havia acontecido alguma coisa no mar e crianças estavam chorando", contou Maria Cristina Skowronski-Flynn, que vive nos Estados Unidos, e está de férias no Rio, onde é proprietária da empresa Bela Vista Rio.

 

Como as crianças falam inglês, Maria Cristina tentou acalmá-las. "O menino de 4 anos chorava muito. Ele estava desesperado, não sabia dizer onde os pais estavam. Fomos para uma sala de recreação infantil e pedimos comida para eles, enquanto tentávamos acalmá-los", contou.

 

Uma equipe do Corpo de Bombeiros permaneceu no veleiro, à espera dos pais das crianças. Quando o casal de holandeses voltou, por volta das 21 horas, se mostrou surpreso com a movimentação de bombeiros. Eles contaram que deixaram as crianças dormindo e saíram num bote para ir até o barco de amigos.

 

"Os pais chegaram muito assustados, surpresos. O pai reclamou que foi vaiado quando entrou no Iate Clube. Eu disse que as crianças chegaram chorando muito, mas estavam mais calmas, alimentadas, limpas e hidratadas. Ele ainda disse: `engraçado, comigo não comem nada. Mas com os outros elas comem'", contou Maria Cristina. Ela explicou ainda que no Brasil a lei não permite que crianças sejam deixadas sozinhas. "Acho que em nenhum lugar do mundo", comentou.

 

Na conversa com Maria Cristina, Hendrikus comentou ainda que já havia deixado os filhos no barco antes, e que as crianças ficavam com um rádio, para se comunicarem com os pais. A família faz uma viagem pelo mundo que começou há três anos. O Brasil é o último País a ser visitado - ainda está prevista uma parada em Recife, antes do retorno para a Holanda.

 

Uma equipe da Delegacia de Atendimento ao Turista foi chamada. O casal foi indiciado por abandono de incapaz, pagou uma fiança de R$ 1 mil e está impedido de deixar o País. Um representante do consulado holandês assinou termo responsabilizando-se pela permanência do casal no Brasil e as crianças foram devolvidas para os pais. Hoje, mais calmas, foram vistas brincando no parquinho do Iate Clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.