Homem alérgico morre picado por abelhas

A morte do mecânico José Evaristo Moreira, atacado por um enxame de abelhas, no último domingo, foi desencadeada por uma reação alérgica, informou, neste sábado, a filha, Lúcia Helena Moreira.Ela negou que a família mantivesse um apiário em casa, no Vale das Garças, no distrito de Barão Geraldo, como havia informado um policial que atendeu o caso.Segundo Lúcia Helena, as abelhas estavam voando na calçada e atacaram sua mãe, Benedita Rodrigues Moreira, que cortava a grama. Ela contou que o pai sabia ser alérgico, mas socorreu a mulher assim mesmo.Moreira morreu depois da terceira parada cardíaca, ao chegar ao Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde o casal foi socorrido.A mulher, medicada, deveria receber alta ainda na noite desta sexta-feira, conforme informou a assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas. "Ele morreu para salvar a vida da minha mãe", emocionou-se Lúcia.Segundo a filha do casal, os vizinhos disseram que o ataque foi por "abelhas de pasto", muito agressivas e conhecidas "por matar cavalos".Ela explicou que havia acionado várias vezes o Corpo de Bombeiros por causa do aumento de enxames no local onde mora, em Barão Geraldo. Os Bombeiros informam que somente podem atuar quando há ameaça real à população.Neste sábado, a Polícia Civil informou que a suspeita do policial de que havia um apiário na casa da vítima será investigada, apesar de não constar do Boletim de Ocorrência. A família deve ser ouvida, conforme a polícia, para esclarecer a situação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.