Homem briga com esposa e mata sogra em Santo André

Ao dar entrada na Santa Casa de Santo André, com sangramento pelo nariz e pela boca, Lúcia de Souza Ocanha, de 54 anos, deu aos médicos de plantão a impressão de que estava sendo vítima de um enfarto. Ela morreu e só mais tarde foi constatada uma pequena perfuração sob a axila, feita provavelmente por estilete. A polícia descobriu que ela foi agredida pelo próprio genro quando tentava defender a filha, com quem ele estava brigando. O crime ocorreu por volta das 23h00 de ontem na residência da vítima, no Jardim Palmares, em Santo André. O responsável pela morte de Lúcia é Reginaldo dos Santos Vicente, de 29 anos, que vivia com Suely Aparecida de Souza Ocanha. Segundo testemunhas, Reginaldo é violento e dado a cenas de ciúmes. Volta e meia brigava e até agredia a companheira, como teria ocorrido ontem à noite, o que a levou a refugiar-se na casa da mãe.Temendo que ele espancasse a filha, Lúcia tentou impedir passando a discutir com o genro. Aproveitando a intervenção da mãe, Suely afastou-se e não chegou ver a agressão. Viu-a apenas desfalecida e percebeu que havia sangue saindo de suas narinas. O ferimento na axila não sangrava e todos acreditaram que Lúcia estava sendo vítima de enfarto, em conseqüência do nervosismo.Enquanto a vítima era socorrida, o agressor aproveitou para fugir e esconder-se na casa de parentes, na Vila das Mercês, na Zona Sul da capital. Refúgio tão óbvio que foi o primeiro local em que a polícia o procurou, ao constatar a morte de Lúcia. Detido por policiais militares, no endereço fornecido por Suely, Reginaldo foi levado ao 26º DP - Sacomã, onde a delegada de plantão o autuou em flagrante. O inquérito foi instaurado numa delegacia de Santo André para onde o criminoso deverá ser removido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.