Homem confessa assassinato de 12 crianças no RS

Capturado na tarde desta terça-feira em Maximiliano de Almeida, no norte do Rio Grande do Sul, o foragido da Justiça do Paraná Adriano da Silva, de 25 anos, conhecido como ?Bruxo?, surpreendeu os policiais que tomaram seu depoimento. Ele confessou o assassinato de 12 crianças com idades entre 8 e 13 anos nos últimos 16 meses. Adriano estava sendo procurado desde a última sexta-feira, quando foi a última pessoa vista com o menor D.B.L., de 13 anos, que foi encontrado morto algumas horas depois, em Lagoa Vermelha. Fotografias do suspeito foram espalhadas por toda a região e, ao passar por uma guarita da barragem da Usina Hidrelétrica Machadinho, no município de Maximiliano de Almeida, vigilantes o reconheceram. A polícia foi chamada e ele foi preso. Ao ser abordado, apresentou carteira de trabalho e identidade do irmão Gabriel Vicente da Silva. Carregava uma mochila com roupas e R$ 50.A frieza das confissões e os detalhes descritos por Adriano Silva surpreenderam o delegado Paulo Floriano Machado. "Ele parece o maníaco do parque, de São Paulo", comparou. Os crimes que Adriano confessou ocorreram em Sanaduva, Passo Fundo e Soledade. A confissão pode esclarecer a série de 13 desaparecimentos de crianças, com dez mortes confirmadas, ocorrida na região desde março do ano passado. A repercussão da perseguição a Adriano no Rio Grande do Sul revelou que ela cumpria pena de 27 anos de prisão pela morte deum taxista em União da Vitória (PR). Familiares de uma criança desaparecida em Florestápolis, em 16 de novembro, consideraram a foto do preso parecida com o homem que foi visto com ela pela última vez. Durante o período da prisão preventiva, de 30 dias, a polícia vai comparar o depoimento com as investigações que vinha fazendo de todos os crimes para confirmar o que é verdade e o que não é das confissões de Adriano. (Colaborou Oswaldo Faustino)

Agencia Estado,

07 de janeiro de 2004 | 00h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.