Homem de 65 anos é condenado por pornografia infantil na internet

Ele autuado por fornecer, divulgar e publicar imagens pelo programa de peer-to-peer eMule; Polícia Federal agiu em colaboração com a Interpol

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

23 de julho de 2010 | 09h20

SÃO PAULO - O consultor de empresas M.R.G., de 65 anos, foi condenado a cinco anos de prisão pela 10ª Vara Federal Criminal de São Paulo por troca de imagens de pornografia infantil na internet. Além da prisão, ele foi autuado em mais 161 dias-multa, por fornecer, divulgar e publicar, por 90 vezes, imagens de pornografia infantil na internet pelo sistema peer-to-peer e-Mule.

 

A denúncia foi oferecida pelo MPF em abril de 2009 e recebida no mês seguinte. Na sentença, o juízo da 10ª Vara Federal rechaçou a argumentação da defesa, que alegava que quem usava o computador era um sobrinho do réu e que, portanto, o consultor não distribuiria pornografia infantil a partir de sua conexão de internet.

 

O caso foi descoberto na Operação Carrossel 2, da Polícia Federal, realizada em setembro de 2008, em colaboração com a Interpol. Na operação foi usado o software Espiamule, desenvolvido por peritos da PF. O programa localiza dentro do eMule imagens conhecidas de pornografia infantil já distribuídas na internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.