Homem é detido passando trote na Polícia Militar

O cabeleireiro Roberto Silva, de 34 anos, foi detido no centro de cidade de São Paulo no momento em que passava um trote ao serviço 190 da Polícia Militar, na madrugada de hoje, com ameaças contra o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alkmin. Ele ligou para o serviço de emergência à 0h08, de um orelhão instalado na Rua Barão de Itapetininga, e disse ao policial que o governador Geraldo Alckmin seria alvo de um atentado à bomba nos próximos dias. Ele se identificou como integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), e afirmou que o objetivo era aumentar o "Ibope" da facção criminosa. O policial militar conseguiu segurar o cabeleireiro ao telefone e, com isso, a ligação foi rastreada, e Silva, detido.Depois de negar as ameaças ele acabou confirmando o que disse, mas afirmou que estava embriagado e por isso fez o trote. Silva foi levado para o 3º Distrito Policial, em Santa Ifigênia, onde o delegado Mauro José Arthur lavrou um termo circunstanciado de falso alarme e liberou o rapaz.

Agencia Estado,

22 de fevereiro de 2002 | 07h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.