Homem é preso suspeito de assassinar vice-presidente de clube no Rio

Diretor jurídico da agremiação teria cometido o crime após vítima denunciar ao MP esquema de desvio de dinheiro na instituição

Ricardo Valota, Central de Notícias

06 Abril 2011 | 11h05

SÃO PAULO - Investigadores da 72ª Delegacia, de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, durante cumprimento do mandado de prisão, expedido pela 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, prenderam, nesta terça-feira, 5, o diretor jurídico do Clube Tamoio, o advogado Lauro Caldeira Constantino. Ele é acusado de envolvimento da morte do vice-presidente da agremiação, José Carlos Santana, ocorrido no dia 3 de março, na porta da associação.

Segundo as investigações, José Carlos teria sido assassinado após denunciar ao Ministério Público o uso de caixa dois, apropriação de dinheiro do clube, a existência de inúmeras ações trabalhistas e o desvio de dinheiro da arrecadação praticado por membros da diretoria.

 

O presidente Elias Vargas Cardoso, 49 anos, e o segurança dele Antônio Marcos Alves, 35 anos, conhecido como "Marcão", foram presos temporariamente no dia 25 do mês passado por terem participação no crime. De acordo com os policiais, a vítima teria sido morta pelo segurança e outro suspeito ainda não identificado.

 

Eles teriam atraído o vice-presidente para retornar ao clube e o executaram a tiros na portaria da agremiação. As investigações continuam com o objetivo de identificar outros integrantes da diretoria do clube envolvidos no homicídio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.