Homem envenena quatro pessoas da própria família

O pedreiro Celso Alves Ribeiro, de 43 anos, tramou a morte por envenenamento dos próprios parentes para ficar com a casa da família, localizada no centro da cidade de Lagoa Formosa, região do Alto Paranaíba mineiro. De acordo com a ocorrência da Polícia Militar, na manhã de segunda-feira, ele colocou o reagente químico TENIK-150 granulado, mais conhecido como "chumbinho", no pó de café usado pelos familiares. A tia do pedreiro, Natalícia Ribeiro da Rocha, 62 anos; sua irmã, Sueli Alves Ribeiro, 38, e dois sobrinhos - Fábio Alves Machado, 21, e a menina Marina Alves de Oliveira, de apenas dois anos - começaram a passar mal logo após a ingestão da bebida. A irmã, a tia e os sobrinhos do pedreiro receberam os primeiros socorros ainda em Lagoa Formosa e depois foram transferidos para o Hospital Regional Antônio Dias, em Patos de Minas. De acordo com o hospital, as vítimas se recuperaram bem e foram liberadas na terça-feira.Segundo a PM, as vítimas, com dores no corpo, sonolência e náusea, foram socorridas por um irmão de Celso, José Eustáquio Alves, que não provou do café e mora nos fundos da residência. Foi o próprio Alves quem acionou a PM. "De imediato, ele já suspeitou do irmão, que já vinha falando em matar a família", disse o sargento Onofre de Fátima Coelho, comandante da corporação em Lagoa Formosa. Ribeiro foi preso em flagrante pouco tempo depois nas imediações. "Primeiro ele negou o crime, mas depois acabou confessando", destacou o sargento. Aos militares, o pedreiro disse que pretendia poupar apenas a vida da mãe, que sofre de diabetes e por isso ele tinha certeza que ela não beberia o café. O pedreiro morava com a mãe na residência e recebia a visita dos parentes. Na casa, a PM apreendeu o restante da substância tóxica, a garrafa com café envenenado e oito munições calibre 22. Nenhuma arma foi encontrada. O pedreiro foi autuado em flagrante pelo delegado Álvaro Soares Rodrigues. Ele foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado. No depoimento, ele confirmou que pretendia matar os familiares para ficar com o imóvel de sete cômodos, mas disse também que queria se vingar de um dos irmãos, Luiz Antônio Ribeiro, que não esteve no local.Tentativa de homicídio O delegado disse que Ribeiro é suspeito também de ser o autor de tentativa de homicídio contra a ex-namorada, Edvânia Aparecida Soares, 35 anos, e sua filha Dayane Aparecida Soares, de 11. Na sexta-feira passada, ele também teria envenenado com "chumbinho" o pó de café da ex-namorada. Edvânia e a filha foram hospitalizadas após a ingestão da bebida. Elas ficaram internadas durante dois dias e receberam alta médica. O episódio chocou os moradores da pequena cidade mineira, com 16,2 mil habitantes. "A comunidade ficou muito surpresa com isso, principalmente porque envolveu uma criança", comentou o comandante da PM. Este texto foi atualizado às 19h53

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.