Reprodução
Reprodução

Homem invade casamento, atira contra padrinhos e cerimônia continua

Crime ocorreu em Limoeiro de Anadia, no Alagoas, e foi registrado pela equipe de filmagem; duas pessoas ficaram gravemente feridas

Wal Souza, Especial para O Estado

01 Fevereiro 2017 | 15h45

MACEIÓ -  O funcionário público da prefeitura de Limoeiro de Anadia (AL), Humberto Ferreira Santos, conhecido como Betinho, atirou na tarde do sábado, 28, contra três pessoas durante uma cerimônia de casamento que estava sendo realizada dentro da catedral da cidade. O crime foi registrado por câmeras que faziam a filmagem do casamento. Mesmo depois do incidente, a cerimônia prosseguiu. 

Santos se apresentou à polícia na manhã desta quarta-feira, 1º. Ele chegou ao 4º Distrito da Polícia Civil, na cidade de Arapiraca (AL), acompanhado pelo advogado. Em depoimento prestado à polícia, ele confessou o crime. 

De acordo com o delegado regional da Polícia Civil de Alagoas, Gustavo Xavier, após o depoimento Santos será transferido para Casa de Custódia, em Arapiraca, onde ficará à disposição da Justiça. De acordo com as imagens divulgadas nas redes sociais e a investigação da Polícia Civil de Alagoas, Santos entrou armado na igreja durante a cerimônia de casamento e atirou contra três pessoas: Cícero Barbosa da Silva, de 62 anos, Edmilson Bezerra da Silva, de 37, e a esposa de Edmilson, que não teve o nome divulgado.

Cícero e Edmilson são pai e filho. Eles foram encaminhados para a Unidade de Emergência do Agreste (UE), na cidade de Arapiraca, onde permanecem em internados em estado grave. Já a esposa de Edmilson, que era madrinha de casamento com ele, recebeu alta do hospital.

Para chegar até as vítimas, que estavam sentadas na parte da frente da igreja, Santos seguiu pelo corredor central da igreja atrás de dois padrinhos que seguiam até o altar durante a cerimônia de casamento. Ao se aproximar das vítimas, ele retirou um revólver da cintura e fez seis disparos.

Em seguida, deixou a igreja calmamente sem se importar com as imagens da câmera que registrava o casamento. As vítimas foram socorridas pelos convidados. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.