Homem morto e enterrado pela família reaparece passeando

A família de Haroldo Prado Ferreira, de 58 anos, enterrou o corpo de outro homem pensando ser o dele, em Bauru, a 335 quilômetros de São Paulo. Com problemas mentais, ele costumava desaparecer e dias depois voltar para casa. No dia 29 de janeiro a família foi ao necrotério do Instituto Médico Legal (IML) e reconheceu um corpo como sendo de Ferreira. O rosto estava desfigurado, mas a estatura e outras características coincidiram. O corpo foi liberado e enterrado no dia 30. Mas, nesta quarta-feira à tarde, Cristiane Lourenzão Alvarez, vizinha da família, levou um susto ao se encontrar com Ferreira andando pelo calçadão do centro da cidade.Ela chamou a polícia e todo o engano começou a se esclarecer. Agora família deve providenciar, por um processo judicial, a anulação da certidão de óbito e a revalidação dos documentos de Ferreira.O 3º Distrito Policial de Bauru abriu inquérito para apurar o ocorrido e vai reabrir investigações para identificar o cadáver que a família enterrou por engano. Até a conclusão do processo, Ferreira continuará "oficialmente morto".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.