Homem que mantém refém a ex-mulher conversa com psicóloga

José Elígio Tavares aponta uma arma para a vítima desde as 9 horas de segunda-feira; polícia quer convencê-lo que sua vida será preservada caso ele se entregue

Solange Spigliatti, Central de Notícias

19 Abril 2011 | 13h06

SÃO PAULO - José Elígio Tavares, de 24 anos, que mantém a ex-esposa, Cristielane Caetano Mota Santos, de 21 anos, refém em Aracaju, Sergipe, há mais de 27 horas, conversou com psicólogo e um psicanalista na manhã desta terça-feira, 19.

 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a psicóloga Juliana Passos Andrade, da Defensoria Pública do Estado, e um psicanalista da Universidade Federal de Sergipe, entraram na casa com o objetivo de fazer um laudo sobre o estado de saúde mental do invasor.

 

A medida faz parte das negociações feita pelos policiais para a rendição e visa dar garantias de que ele será levado para um hospital psiquiátrico.

 

De acordo com a SSP, Tavares vem apresentando variações de humor desde a madrugada, como agitação, nervosismo e depressão, chegando a dizer que iria matar a ex-mulher.

Mais conteúdo sobre:
refém aracaju sergipe psicóloga psicanalista

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.