Homem que mantinha ex-mulher refém em Aracaju se entrega após 30 horas

Sequestrador será analisado por psiquiatra e, dependendo da avaliação, responderá pelo crime

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

19 de abril de 2011 | 15h33

SÃO PAULO - O rapaz que mantinha sua ex-mulher em cárcere privado há mais de um dia em Aracaju, Sergipe, se entregou por volta das 14h45 desta terça-feira, 19. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a mulher foi liberada após um novo bloco de negociações entre o sequestrador e as polícias civil e militar. A psicóloga Alessandra Andrade, da Defensoria Pública, também participou das negociações.

 

A vítima Cristielane Caetano Mota Santos, de 21 anos, e José Elígio Tavares foram atendidos pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e encaminhados para um hospital da região. A Secretaria não divulgou o nome do hospital por motivo de segurança. Com Elígio, foi apreendido um revólver calibre 38.

 

O sequestrador será analisado por um psiquiatra e, dependendo de sua avaliação, responderá pelo crime.

 

Por volta das 9 horas de ontem, o rapaz, armado com um revólver, entrou na casa e, após discutir com a ex-mulher, disparou contra uma das pernas dela, atingindo a vítima de raspão. O alerta para a PM foi dado pelos vizinhos. Ele permitiu a entrada de uma equipe do SAMU para que fosse realizado um curativo na perna da vítima.

 

O casal, que tem um filho de 5 anos, viveu junto durante 7 anos. Segundo testemunhas, cansada de apanhar do marido, Cristielane, há 20 dias, resolveu se separar de Elígio ao saber que ele havia pedido demissão do trabalho e comprado um revólver.

 

Segundo a polícia, a maior preocupação de Eligio nas primeiras horas de negociação era saber quanto tempo de pena pegaria pelo crime. A negociação foi dificultada pois o acusado não fez exigência alguma para se entregar.

Mais conteúdo sobre:
sequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.