Homem sequestra, mata filho e se suicida em Ourinhos

Em carta, paranaense diz que cometeu crime porque guarda do menino de 7 anos ficou com a mulher

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

02 de outubro de 2009 | 17h04

Os corpos de um homem, de 36 anos, e de seu filho, de 7, foram encontrados na quinta-feira, no quarto de um hotel em Ourinhos, a 370 km da capital paulista. O homem teria sequestrado, matado o garoto e se suicidado. O pai deixou uma carta pedindo desculpas e justificando as mortes em decorrência da separação e devido a guarda do menino ter ficado com a mãe.

 

Segundo o delegado titular João Ildes Beffa, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) da região, os pais do menino haviam se separado há cerca de 20 dias e a mãe ficou com a guarda da criança. Na última terça-feira, o homem saiu com o garoto da cidade de Santo Antonio da Platina, no Paraná, onde a mãe mora, mas não retornou no dia seguinte como o combinado. A mãe registrou um boletim de ocorrência na delegacia de Santo Antonio da Platina denunciando o sumiço do filho.

 

A polícia paranaense rastreou os gastos com o cartão de crédito do homem e identificou que ele estaria em Ourinhos. Segundo o DIG, ele teria comprado uma corda de 3 metros em uma loja de material de construção. Por volta das 4h30 de quarta-feira, pai e filho se hospedaram num hotel no centro de Ourinhos. Às 22h30, o homem deixou o menino com uma funcionária do estabelecimento e disse que iria comprar remédios. Ao retornar, ele pegou o filho, voltou para o quarto e pediu para não ser incomodado.

 

Ao chegar no quarto do hotel, os agentes do DIG encontraram a criança morta sobre a cama e o homem enforcado com a corda. O menino teria sido estrangulado com a corda. O DIG de Ourinhos instaurou inquérito policial para apurar o caso. A polícia também solicitou perícia para o local do crime e exame necroscópico no Instituto Médico Legal (IML) nos corpos das vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.