Homem volta a dizer que sabe quem matou Celso Daniel

O vendedor Fábio Bernardes, de 29 anos, preso em Monte Sião, em Minas Gerais, voltou a afirmar, na madrugada de hoje, que sabe quem matou o prefeito de Santo André, Celso Daniel. Segundo ele, os assassinos seriam quatro homens que moram nas Favelas de Sacadura Cabral e Tamarutaca, em Santo André. O motivo do crime, disse ele, não foi político, mas sim, queima de arquivo. O alvo também não era o prefeito Celso Daniel, mas o amigo dele, o empresário Sérgio Gomes da Silva. Ainda segundo Fábio Bernardes, o crime teria sido planejado durante um churrasco realizado no Natal passado. Segundo informações da Delegacia de Polícia de Monte Sião, Fábio Bernardes não está envolvido com o seqüestro e a morte do prefeito Celso Daniel: "Ele tem informações importantes sobre este e outros sequestros em São Paulo", disse hoje de manhã por telefone o agente administrativo da delegacia, Herberto Koch, que acompanhou os depoimentos de Bernardes.História confusa, que provoca confusãoA história de Fábio Bernardes é confusa, e já causou muita confusão. Segundo o tenente Odair de Freitas, do pelotão da PM de Monte Sião, um homem apresentando sinais de embriaguez passou diante do pelotão, na terça-feira à noite, gritando que sabia quem estava envolvido na morte do prefeito de Santo André. O homem era Fábio Bernardes, um vendedor de 29 anos, natural de Santos, que viveu em Santo André por dois anos. Ele foi ouvido pelo delegado local, Artur Augusto Ribeiro, e por policiais da Deas paulista (Divisão Anti-Seqüestro). A Deas consideoru a versão de Fábio Bernardes desconexa e contraditória. O próprio Fábio Bernardes teria admitido que bebeu demais e contou a história imaginando ganhar Os R$ 50 mil de recompensa oferecidos pelo governo de São Paulo.Essa história levou a uma confusão ainda maior. Ontem, o recém-empossado secretário de Segurança de São Paulo, Saulo Abreu, disse em entrevista coletiva que dois suspeitos do assassinato do prefeito haviam sido presos em Poços de Caldas, em Minas. Ontem mesmo, à noite, o secretário teve que desmentir a informação: não era em Poços de Caldas, e sim em Monte Sião; não eram dois presos, e sim um; e o preso sequer era suspeito, era apenas alguém que dizia saber informações sobre o crime. Fábio Bernardes teria, sim, informaçõesO fato é que, na madrugada desta quinta-feira, Fábio Bernardes voltou a dar depoimento à polícia em Monte Sião. Durante seu depoimento, ficou claro para o delegado titular Artur Augusto Ribeiro da Silva, que Bernardes tinha conhecimento de várias operações criminosas na região do ABC. Está previsto para hoje novo depoimento de Fábio Bernardes à Polícia de Monte Sião e a agentes da Deas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.