Renata Farias/Estadão
Renata Farias/Estadão

Homenagem à Santa Dulce dos Pobres reúne 43 mil em estádio de futebol em Salvador

Arcebispo da capital baiana lembrou que a santa adorava futebol quando era adolescente; irmã Dulce se tornou santa há uma semana, em cerimônia no Vaticano

Renata Farias, especial para o Estado

20 de outubro de 2019 | 20h16

SALVADOR - Cerca de 43 mil pessoas acompanharam neste domingo, 20, as mais de 5 horas de programação em homenagem à Santa Dulce dos Pobres, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Durante o evento, foi celebrada a primeira missa em homenagem à santa no Brasil, presidida por dom Murilo Krieger, arcebispo da capital baiana.

"Quando a senhora poderia ter imaginado que um dia, num domingo, uma multidão se reuniria por sua causa num estádio de futebol? Futebol, aliás, que a senhora tanto apreciou nos seus tempos de adolescência", afirmou o arcebispo durante a homilia, dirigindo-se ao Anjo Bom da Bahia.

Além da celebração, que uniu todo o estádio em momentos de silêncio absoluto e também na entoação de cânticos, foi apresentado o espetáculo teatral Império do Amor, que mostrou a vida de Irmã Dulce, desde que ela decidiu transformar um galinheiro em um espaço para abrigar doentes até sua morte e canonização. Participaram quase 700 atores, sendo 482 crianças e adolescentes do Centro Educacional Santo Antônio (Cesa), além de idosos da instituição e artistas. 

Um dos momentos de maior emoção foi a passagem dos dois miraculados: Claudia Santos, que foi curada de uma grave hemorragia após dar à luz o filho Gabriel, que a acompanhava; e José Maurício Moreira, que voltou a enxergar depois de 14 anos cego. O público também ovacionou a participação dos cantores Margareth Menezes e Saulo. A exultação foi ainda maior quando o Padre Antônio Maria cantou Nossa Senhora.

Presente na celebração, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), ressaltou que o exemplo de vida de Santa Dulce não deve ser seguido apenas por católicos, mas por toda a sociedade. "É uma inspiração de fé não só para pessoas católicas, mas também de outras religiões. A inspiração não vem necessariamente da religião, mas do exemplo de vida, da dedicação. Por isso, afirmamos que Irmã Dulce está acima das religiões pela sua vida e história de cuidado com as pessoas."

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), comentou a construção do Caminho da Fé, trajeto que vai levar os fieis e turistas a dois dos pontos religiosos mais importantes de Salvador: o Santuário de Santa Dulce dos Pobres, no bairro de Roma, e a Basílica do Senhor do Bonfim, no bairro de mesmo nome.

"O que nos traz aqui primeiramente é nossa fé, mas claro que a prefeitura precisa ter a inteligência de desenvolver ainda mais uma estratégia de turismo religioso em nossa cidade", explicou. "A ideia é que a gente possa receber um número umas vez maior de turistas interessados em conhecer mais de perto a nossa Santa Dulce."

Após o fim da celebração, todo o público assistiu a uma procissão com a imagem de Santa Dulce sob as luzes das lanternas de celular e entoando o hino à Santa: "Salve a Santa Dulce do amor; veja os grandes feitos do Senhor".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Novembro Azul: entenda a campanha de prevenção do câncer de próstata
  • DPVAT: o que é e como funciona o seguro obrigatório?
  • Yuval Harari: “Algoritmos entendem você melhor do que você mesmo se entende”

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.