Homenagem e 'bota-fora' exclusivo marcam saída de Dilma

Homenagem e 'bota-fora' exclusivo marcam saída de Dilma

Fora de Brasília, primeira agenda da petista será em Minas, abrindo uma série de encontros e atos planejados pelo partido

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2010 | 00h00

BRASÍLIA

Depois de sete anos e três meses no governo, a ministra Dilma Rousseff deixa hoje o cargo para se dedicar à campanha eleitoral. Pré-candidata do PT à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma será homenageada por funcionários da Casa Civil, que prepararam um "bota-fora" exclusivo para ela no auditório do Palácio do Planalto.

É nessa cerimônia de despedida, mais reservada, que Dilma pedirá à equipe apoio a Erenice Guerra, atual secretária-executiva da Casa Civil que assumirá o ministério. Dona de temperamento forte e conhecida por distribuir broncas e cobrar resultados "para ontem", ela vai aparecer sorridente e simpática na festa organizada pelos servidores.

De lá, seguirá para a solenidade de posse coletiva dos novos ministros, no Palácio Itamaraty. Chamada de "trololó" por Lula, a cerimônia ganhará tom mais político por causa de Dilma.

Em seu discurso, Lula fará um agradecimento à mulher que escolheu para a sucessão presidencial, furando a fila no PT. Dirá que ficou impressionado com a capacidade de trabalho dela desde que a convidou para ser ministra das Minas e Energia. Dilma só chegou à Casa Civil em junho de 2005, quando caiu o então ministro José Dirceu no rastro do escândalo do mensalão.

Roteiro. Preocupado em manter Dilma em evidência após sua saída do governo, o comando petista planeja encontros e atos políticos para sustentar sua campanha na entressafra eleitoral. A primeira agenda, fora da capital federal, será em Minas Gerais.

Trata-se de um "roteiro afetivo" por cidades do Estado onde ela nasceu. Está acertado que Dilma irá a Belo Horizonte e Ouro Preto. Na tentativa de manter Dilma na vitrine, o PT organizará reuniões com vários tipos de público para ela apresentar os eixos de seu programa de governo, ancorado no mote de um novo projeto de desenvolvimento.

Partidos aliados também darão uma força. Na segunda-feira, após Páscoa, Dilma participará do encontro do PR ? que vai declarar apoio à sua candidatura. Não é só: dia 8 será a vez de o PC do B caprichar na homenagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.