Homicídio no 1° trimestre cresce em relação a 2006 em PE

Estado detentor do maior número de homicídios do País segundo estudo da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI), Pernambuco registrou crescimento de 11,5% do número de assassinatos no primeiro trimestre deste ano, comparado ao primeiro trimestre de 2006. Foram 1.315 homicídios nestes três primeiros meses ano contra 1.179 no mesmo período do ano passado. O governador Eduardo Campos (PSB) discorda da metodologia e afirmou, nesta quinta-feira, em entrevista, que os homicídios estão decrescendo. Se comparados, segundo ele, os números de dezembro passado (457 assassinatos) com janeiro deste ano, o aumento é de 3,5% e não de 11,5%. Já a Secretaria de Defesa Social preferiu comparar a primeira quinzena de abril com a primeira quinzena de abril de 2006, quando os números favorecem o Estado, mostrando um decréscimo de 14,28% - 224 da primeira quinzena de abril de 2006, contra 192 nos primeiros 15 dias de abril deste ano. Ao assumir o mandato, neste ano, o governador assumiu também a responsabilidade pela segurança pública e prometeu reverter a situação. No final deste mês, anuncia um plano estadual de segurança pública dentro do Pacto Pela Paz, que reúne os três níveis de governo e a sociedade. Baseado em pesquisas que indicam que o homicídio em Pernambuco tem como uma de suas principais causas os grupos de extermínio, que atuam também no tráfico de drogas, como forma de financiar as quadrilhas, ele lembrou que neste ano já foram realizadas "as maiores" operações contra grupos de extermínio, "nunca antes" realizadas em Pernambuco. Thundercats e Aveloz Depois de prender na semana passada 11 acusados - entre eles um ex-assessor parlamentar e um sargento PM - de integrarem o grupo Thundercats, que atua nos bairros do Ibura e Jardim São Paulo, zona oeste do Recife, a polícia prendeu nesta quinta-feira mais um suspeito de fazer parte da quadrilha, apontada como autora de mais de 30 homicídios. O preso, William Batista de Lima, de 23 anos, é irmão de Sandro Rico (foragido), que comandaria o braço financeiro dos Thundercats. Ele foi preso na madrugada, quando descarregava equipamentos de informática - estimados em R$ 200 mil - em um depósito clandestino. Para o delegado de Roubos e Furtos, Roberto Geraldo, o desmonte dos Thundercats já evidencia um decréscimo dos homicídios nos fins de semana. Também na semana passada foi realizada a Operação Aveloz, na região de Caruaru, no agreste, integrando as polícias federal, militar e civil. Foram presas 29 pessoas - sete policiais militares e empresários inclusos -, acusados de envolvimento com um grupo de extermínio batizado de "Homicídios S.A" pelo superintendente da PF no Estado, Jorge Pontes. Eles seriam responsáveis por 200 execuções em um ano.

Agencia Estado,

18 Abril 2007 | 16h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.